Tatuagem descoberta em múmia de 1300 anos

Tatuagem descoberta em múmia de 1300 anos

Compartilhe

Divulgado pelo Museu Britânico o registro mais antigo de uma tatuagem na História, em uma múmia sudanesa de 700 DC, que vivia às margens do Rio Nilo

mummy-split_2860580c

múmia de mulher entre 25 e 30 anos, encontrada num cemitério do Sudão, morreu em 700 DC e possuía uma tatuagem com símbolo do Arcanjo Miguel na parte interna da coxa direita (foto: divulgação/Museu Britânico)

Arqueólogos e antropólogos demoram muito tempo para decifrar todos os mistérios de uma escavação, objetos e múmias que encontram. São esses mistérios que jogam luz sobre hábitos, costumes, doenças e culturas das quais existem poucos registros. Ontem, 23, os jornais britânicos The Telegraph e The Mirror publicaram a respeito de uma pesquisa do Museu Britânico que consiste em fazer tomografias em múmias encontradas em 2005 num cemitério do Sudão.

Essa pesquisa revelou que uma dessas múmias estava tão bem preservada que era possível identificar a olho nu uma tatuagem na parte interna da coxa de sua perna direita. A tecnologia de infra-vermelhos só ajudou a definir com mais clareza o desenho. A mulher, com idade entre 20 e 35 anos, foi enterrada envolta em um pano de linho e lã e seus restos mumificados havia no calor seco. A tatuagem foi decifrada como o símbolo do Arcanjo Miguel, em grego antigo – MIXAHA, ou Michael. A dona da tatuagem morreu por volta de 700 DC e viveu em uma comunidade cristã, nas margens do Nilo.

Mummy-tattoo-3274184

detalhe da tatuagem encontrada na múmia de 1300 anos, o símbolo do Arcanjo Miguel, provavelmente usado para proteção (foto: divulgação/Museu Britânico)

O símbolo do Arcanjo Miguel, encontrado tanto no Antigo quanto no Novo Testamento, tem sido encontrado em igrejas antigas e em tábuas de pedra, mas nunca antes na forma de uma tatuagem. “Ela é a primeira evidência de uma tatuagem a partir deste período. Este é um achado muito raro“, diz entusiasmado o Dr. Daniel Antoine do Museu Britânico.

A múmia sudanesa ficará exposta ao público pela primeira vez em maio na exposição chamada Lives antigos: Novas Descobertas no Museu Britânico (Great Russell Street, London, WC1B 3DG). Todos os dias milhares de pessoas irão ver sua tatuagem, o registro mais antigo de uma tatuagem já encontrado.

Compartilhe